Os grandes diferenciais do rugby sempre foram os seus valores (respeito, paixão, disciplina, integridade e solidariedade), o espírito de equipe e o sentimento de pertencimento dos atletas a seus clubes como integrantes de grandes famílias. Entretanto, alguns clubes e até a própria confederação brasileira passaram a tratar o esporte como negócio, nos modelos do futebol.

Fazendo oposição a essa tendência, o CRC – Curitiba Rugby Clube – decidiu se manifestar, publicar seu primeiro relatório anual e se posicionar como instituição sem fins lucrativos que acredita e investe no esporte como ferramenta de transformação social.

O VERDADEIRO PAPEL DO ESPORTE NO BRASIL

Segundo Gabriel Segalovich, atual presidente do CRC, não faria sentido o clube receber incentivo do governo para seus projetos se o retorno para a sociedade não fosse promover qualidade de vida, inclusão social e abrir portas para que os beneficiados destes projetos tenham um futuro como cidadãos além do esporte.

“Por este motivo somos contra a política que tem sido adotada por alguns clubes e pela própria confederação, de tirar atletas de seus times de origem, contratá-los por períodos específicos visando apenas resultados esportivos e depois descartá-los às suas próprias sortes.” Enfatiza Gabriel.

Fabiano Brusamolin, vice-presidente do CRC, diz que o clube manterá o foco na sua missão e continuará dedicado aos seus projetos sociais educativos/esportivos, e à formação das categorias de base, mesmo na contramão do que tem acontecido no rugby nacional.

“A convocação dos atletas de diversas categorias para as seleções reflete a qualidade do jogador de desempenho do CRC, entretanto costuma gerar um trancamento do curso na Universidade, e todas as consequências que isto acarreta quando do seu retorno. Vamos seguir nosso caminho porque temos a certeza de que é o certo a se fazer. Os valores do rugby andam conosco todos os dias, além do esporte, e vamos criar oportunidades, inclusive de trabalho, para que nossos atletas fiquem conosco.” Afirma Fabiano.

SOBRE O CURITIBA RUGBY CLUBE

Pioneiro na Região Sul, fundado em 1983, bicampeão brasileiro masculino, feminino e juvenil, o CRC – Curitiba Rugby Clube – é o único clube de rugby do Brasil que já recebeu o prêmio Spirit Of Rugby da World Rugby, justamente por gerar um enorme impacto social.

Instituição sem fins lucrativos de utilidade pública municipal e estadual, o CRC criou e mantém há 10 anos o Projeto VOR – Vivendo O Rugby, que atende cerca de 600 crianças de 11 escolas públicas de Curitiba e Região Metropolitana. Mais de 4 mil alunos tiveram o primeiro contato com o rugby por meio deste projeto educacional dos quais mais de cem se tornaram atletas de alto rendimento, dezenas chegaram às seleções paranaense e brasileiras.

Segundo Lalo Lagarrigue, fundador do CRC, a ideia inicial sobre o VOR nem era criar um projeto social, mas sim compartilhar o esporte, pelo qual já era apaixonado, com as crianças para que se divertissem.

FORMAÇÃO INTEGRAL

Mas o VOR é apenas um dos projetos do clube. São quatro, todos apoiados por Leis de Incentivo ao Esporte nas esferas públicas municipal, estadual e federal.

  1. O VOR – Vivendo O Rugby – é educacional, atende crianças, leva o rugby às escolas e traz os alunos para o campo do clube.
  2. O RPS – Rugby Para Sempre, atende juvenis, é esportivo e acolhe os atletas que são revelados no VOR.
  3. O projeto de ALTO RENDIMENTO atende os atletas que passam da categoria juvenil para a adulta.
  4. O TOUROS QUAD RUGBY KIDS é voltado para crianças com deficiência neuromotora e terá início em agosto deste ano.

Além disso, parte dos atletas do CRC são encaminhados para a Universidade por meio de um programa de bolsas de estudo que é mantido com a Uniandrade.

O RELATÓRIO ANUAL

Recentemente o Curitiba Rugby passou por capacitações promovidas pelo Instituto Legado, que se dedica a acelerar organizações de impacto social. Este relatório é um dos reflexos dessa formação sobre gestão profissional de projetos sociais focada em sustentabilidade e transparência.

“Hoje sabemos que o importante não é apenas fazer, mas também deixar o que fazemos muito claro para nossos stakeholders e para a sociedade.  Estamos combatendo, em nossa escala, alguns problemas que são apontados pela OMS – Organização Mundial de Saúde, tais como obesidade infantil, depressão, sedentarismo e contribuindo para uma educação de qualidade para nossas crianças e jovens. O mundo precisa saber disso.”

Link para o Relatório Anual 2018 do Curitiba Rugby Clube:

https://www.flipsnack.com/CuritibaRugby/ra2018crc.html

 

 

Adriana Lopes Olivieri – Gestora de Comunicação e Marketing do CRC

 

 

 

Please follow and like us: